A importância da guilhotina da capela

Guilhotina-para-Capela-Braslab

A importância da guilhotina da capela

A capela é considerada um equipamento de proteção coletiva. Possui uma área de trabalho conhecida como box, onde são feitos os experimentos de laboratório que desprendem substâncias nocivas à saúde. Possui

um sistema de exaustão que retira do box estas substâncias e lança para fora do ambiente de trabalho afim de proteger a saúde do profissional.

A Guilhotina:

É na parte frontal do box que está a guilhotina, espécie de fechamento envidraçado móvel no sentido vertical, que serve para proteger o operador enquanto este realiza seus experimentos no box. A guilhotina da capela é de grande importância para o desempenho do sistema de exaustão, pois sua mobilidade faz com que o arraste da exaustão varie conforme a abertura da mesma, quanto maior a abertura, menor será a capacidade de retirada de substância do box, pois o exaustor estará arrastando uma grande quantidade de ar externo para dentro do box, e consequentemente dispersando de forma menos direcionada este fluxo. Se a guilhotina estiver totalmente fechada, ainda sim há uma abertura mínima obrigatória para que exista o arraste do fluxo, o sistema funcionará melhor, pois o desempenho do exaustor será o melhor possível devido ao pequeno fluxo de ar estar totalmente direcionado de forma correta para a saída da exaustão.

Modelos de guilhotina:

A Braslab produz capelas com dois modelos de guilhotina: Simples ou Dupla.

Simples: movimento apenas vertical com vidro fixo. Se totalmente fechada não há como o operador trabalhar com o box, nesta situação serve apenas para que o experimento seja observado enquanto o sistema de exaustão esteja ligado, e com o arraste funcionando em sua melhor performance. Se totalmente aberta a área de trabalho fica totalmente livre para o operador, porém não oferece nenhuma proteção para seu corpo, além do sistema de exaustão obter um desempenho mais fraco.

Dupla: modelo desenvolvido pela Braslab, visa atender à melhor situação possível: maior proteção do operador com melhor desempenho do fluxo de exaustão, inclusive, por este motivo, todas as capelas Braslab já saem de fábrica com este modelo de guilhotina como padrão. A guilhotina dupla possui proteção de vidro dividido em peças e não apenas uma peça fixa. Estas peças correm no sentido horizontal através de trilhos, possibilitando que a guilhotina fique totalmente fechada, ficando apenas os vãos entre os vidros móveis abertos, proporcionando desta forma a maior segurança do operador, pois estará com acesso ao box através dos vãos, seu corpo protegido pelo vidro e o funcionamento do sistema de exaustão em alta performance, pois a área de abertura é pequena se comparada com a guilhotina totalmente aberta, facilitando o caminho do fluxo de exaustão.

VAV – Controle automático de vazão

Existe ainda o chamado V-A-V, que é um sistema que controla automaticamente o fluxo de vazão do exaustor quando a guilhotina é movimentada. Este sistema faz com que o exaustor utilize toda sua potência quando a guilhotina está aberta, para aumentar o arraste do fluxo, e quando a guilhotina vai sendo fechada, o sistema diminui o uso do exaustor, pois a área de arraste exige um fluxo menor.

Este controle, além de permitir que o sistema de exaustão esteja sempre trabalhando em alta performance, independente do grau de abertura da guilhotina, também economiza energia, pois o todo o sistema de exaustão otimiza seu desempenho conforme a necessidade de abertura da guilhotina, seja ela simples ou dupla.

Veja no vídeo abaixo possíveis pontos negativos de cada modelo: