Capelas de Exaustão de Gases

Capela de Exaustão de Gases

Capelas de Exaustão de Gases

 

Definição de Capelas: Capela termo proveniente do provençal CAPELLA (diminutivo de capa protetora ou isolante para um objeto), está assim definido no Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa Michaelis:

“Compartimento envidraçado com chaminé, destinado ao trabalho com gases deletérios.”

 

Podemos verificar portanto a ligação de capela à segurança ocupacional.

A presença de agentes químicos no local de trabalho, expõe o homem, segundo Dr. Newton Miguel M. Rocha (durante seu trabalho no Cenpes) a um permanente risco de contato. Risco este possível nas seguintes áreas do organismo:

APARELHO RESPIRATÓRIO; PELE E MUCOSAS EXTERNAS e APARELHO DIGESTIVO.

 

Esta proteção é obtida pelo confinamento e expulsão desses vapores corrosivos, tóxicos ou venenosos por um sistema de ventilação local exaustora.

 

Segundo o livro Engenharia de Ventilação Industrial da Cetesb, capelas (cabines) são captores enclausurantes com uma abertura frontal (guilhotina) para acesso à operação. Devem ser dimensionados segundo:

POSIÇÃO RELATIVA à FONTE DE POLUENTES; 

VAZÃO A SER EXAURIDA PARA CAPTURA COMPLETA DOS POLUENTES;

ENERGIA NECESSÁRIA PARA MOVIMENTAR OS GASES EXAURIDOS.

 

Deve-se ainda ser projetada segundo normas de segurança e construção de capelas, quanto à iluminação interna, ergonomia, nível ruído, velocidade facial de controle, entre outros.

 

O design da capela deve ser aerodinâmico, de tal forma à trazer o menor impacto em perda de carga e turbulência. A velocidade facial de controle mínima deve ser atendida. Uma das normas mais completas que abrangem esse parâmetro é a ANSI/ASHRAE (American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers, Inc) 110:2016.